segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Editais aberto para mestrado FSADU e IUA




Gestão da Educação (novo)

A formação de profissionais, nomeadamente de professores, para a administração e gestão das escolas, é uma peça chave para o desenvolvimento das mesmas como organizações aprendentes. Com efeito, a afirmação de uma escola de qualidade depende, em grande parte, da criação de condições para o exercício da sua autonomia, designadamente no domínio da formação de pessoal docente devidamente qualificado para o exercício de cargos e funções de gestão das escolas. Esta formação visa qualificar os profissionais da educação para o exercício das funções de direção e de gestão pedagógica e administrativa nos estabelecimentos de educação e ensino e outras organizações educativas.
Período de Realização: Dezembro /2016 a Janeiro /2017
Instituição parceira:

Soneto a Buriticupu por seu 21º aniversário de emancipação política

Como morador desta linda cidade quero aqui expressar minha gratidão por esta cidade amada que me acolheu em 1997, quando aqui cheguei ainda como estudante do curso de magistério.

Refletindo  semana passada sobre as lutas e os desafios  do povo de Buriticupu tive a ideia de  compor um soneto para homenagear essa cidade e esse povo maravilhoso, vejam a baixo como ficou.


quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Novembro azul participe!




Novembro está chegando, e com ele tem início a maior campanha do país para conscientização e incentivo à prevenção contra o câncer de próstata: o Novembro Azul. Idealizado pelo Instituto Lado a Lado pela Vida, a campanha teve início em 2012 e, desde então, tem levado informação e conscientização aos quatro cantos do país.
No ano passado, foram mais de 60 mil pessoas impactadas por meio das mais de 2.200 ações realizadas em todo o Brasil - cerca de 1.500 palestras, iluminação azul durante o mês inteiro em diversos pontos turísticos brasileiros, adesão de celebridades em apoio à campanha, palestras informativas, intervenções populares, e até mesmo uma sessão solene no Senado Federal e na Câmara dos Deputados, onde foram debatidos temas de interesse público em relação ao câncer de próstata e saúde do homem.
Com tantos resultados expressivos, não há como não criar expectativas ainda maiores. Em 2015, a meta é atingir ainda mais pessoas com a mensagem da conscientização e prevenção. A realização de tudo isto não faria sentido sem a participação ativa da sociedade. Por isso, neste ano, faça parte você também! 
Aqui em nosso site, você encontra disponível para download um kit com materiais informativos e de divulgação, além de um formulário para solicitar materiais impressos e realizar ações em sua cidade. Empresas podem participar também, basta entrar em contato conosco. Nas redes sociais, acompanhe, compartilhe e participe de nossas ações no Facebook. Contamos com você! 
Entenda a importância da campanha
O câncer de próstata é uma doença silenciosa, com números alarmantes: de 68 mil novos casos que são descobertos ao ano no Brasil, quase 14 mil acabam em morte. Contudo, a detecção precoce da doença pode aumentar as chances de cura em 90%. No entanto, há ainda um vilão nesta batalha: cerca de 87% dos homens afirmam que o preconceito atrapalha na realização de exames preventivos. 
A função do Novembro Azul é conscientizar as pessoas acerca da doença, incentivar a prevenção e desconstruir preconceitos em favor da vida, buscando levar informação e conscientização a todos em prol da saúde masculina. 
Fonte: http://www.novembroazul.com.br/noticias/novembro-azul/vamos-fazer-ainda-melhor-em-2015/

domingo, 13 de setembro de 2015

MORADORES DO POVOADO CASA AZUL EM BURITICUPU SÃO PROCESSADOS PELA VALE



Francisco Chagas. Foto: Piero Locatelli
Francisco Chagas na estrada que liga a sua comunidade aos trilhos da Vale. Foto: Piero Locatelli
As quatro vacas de que Francisco das Chagas cuidava foram atropeladas pelo trem da Vale quando iam tomar água. O morador da zona rural de Buriticupu, interior do Maranhão, pediu uma indenização, mas ele conta que um funcionário da empresa ameaçou processá-lo porque o trem podia ter descarrilado.
Chagas não foi acionado daquela vez, em outubro do ano passado. Mas a Vale o processou
em maio deste ano por outro motivo: ele escreveu uma carta. No texto, ele e outros cento e
onze moradores da vila Casa Azul pediam um kit de irrigação, um pequeno trator, um posto
de saúde e o aumento da rede elétrica.
O pedido foi feito após trinta anos de uma convivência conflituosa com a empresa, que
opera a ferrovia desde os anos 80. Neste período, os moradores da Casa Azul contam que
residências racharam por causa do trem, poços artesianos desmoronaram, animais foram
atropelados, sua terra foi contaminada e seu rio assoreado. Com as obras de duplicação,
os problemas pioraram. As ruas do assentamento, localizado na beira da rodovia, deixaram
 de ser tranquilas e agora são atravessadas por caminhões e máquinas pesadas quase
ininterruptamente.
Diante de todos esses problemas, a Vale não os ajudou. Ao invés disso, registrou um boletim
de ocorrência contra os moradores e processou as lideranças comunitárias. Agora, eles estão
 proibidos de protestar e, caso o façam, deverão pagar uma multa de cinco mil reais por cada dia.
A justificativa para o processo foi o final da carta enviada pelos moradores, em que eles diziam
que, caso as reivindicações não fossem atendidas, estavam decididos “a interditar a passagem de
qualquer veículo que utiliza as estradas dentro da nossa área”.
Além de Chagas, a Vale processou ao menos oito moradores da região que reivindicavam,
através de cartas e protestos pacíficos, compensações ou empregos nas obras. Eles agora
servem de exemplo a outros moradores que queiram protestar contra a Vale em qualquer um
dos outros municípios atravessados pelos trilhos da empresa.
Em resposta enviada a Repórter Brasil por e-mail, a Vale afirma que “não ingressa na justiça
para proibir protestos mas, sim, para garantir a integridade da EFC [Estrado de Ferro Carajás]
e evitar ameaças e ações que possam resultar em sua paralisação.” A empresa também afirma
 que desconhece o caso das vacas de Chagas, mas que os proprietário são responsáveis por
 “evitar possíveis fugas [de animais] que possam gerar risco à operação ferroviária.”
Trem de ferro passa ao lado de Casa Azul. Foto: Piero Locatelli
Trem de ferro passa ao lado de Casa Azul. Foto: Piero Locatelli

O tamanho do problema

De grande importância para Chagas, as quatro vacas e o kit de irrigação significam pouco para
a empresa que corta sua terra. A ferrovia carrega a produção de ferro da maior mina a céu aberto
 do mundo, no Pará, aos portos no Maranhão. Ao menos 100 milhões de toneladas do minério
 passam anualmente por Buriticupu, em trens que chegam a medir 3,5 quilômetros de comprimento
e carregam o equivalente a mais de mil carretas.
Ao mesmo tempo em que duplica a ferrovia, a Vale está expandido o seu complexo no Pará.
A mina de ferro S11D, obra de 19 bilhões de reais, deve duplicar a produção de minério escoado
 pela ferrovia.
No começo, a população pobre de Buruticupu achou que essas obras trariam desenvolvimento
 à cidade e novos empregos. Mas isso mudou conforme as comunidades viram o desdobramento
da obra. Segundo levantamento da ONG Justiça nos Trilhos, foram três manifestações em 2012, 
seis em 2013 e 15 em 2014.
Ferrovia é esperança de emprego na região. Na foto, reforma de trilhos em Paruepebas (Pará). Foto: Piero Locatelli
Ferrovia é esperança de emprego na região. Na foto, reforma em Paruapebas (Pará). Foto: Piero Locatelli
Para tentar conter estas manifestações, a Vale usou um dispositivo legal chamado interdito
proibitório. Na prática, o mecanismo impede protestos que ainda nem aconteceram. A empresa
 pediu multa diária de 50 mil reais para quem protestasse contra ela. Os juízes acataram os pedidos,
mas diminuíram a multa para um décimo do valor.
Com os processos, a Vale não só proibiu os moradores de protestar, mas de fazê-lo dentro das
suas próprias terras e de vias públicas. Segundo a ONG Justiça nos Trilhos, as estradas de terra
fazem parte de assentamentos do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra),
onde parte dos manifestantes moram.
A Vale alega em sua resposta que “tem o direito de pedir a liberação de qualquer via que dê
acesso à ferrovia”. Em sua peça de acusação, a empresa também argumenta que o fechamento
de estradas por moradores do interior do Maranhão poderia ter graves consequências a toda a
 economia do Brasil. “A ofensa à operação da ferrovia também pode representar enorme prejuízo
à balança comercial brasileira, considerando os diversos contratos com siderúrgicas no exterior
e com as indústrias da agricultura, as quais, se não forem cumpridas, acarretarão prejuízos
incalculáveis.”
A mineradora também alega que tem mantido um percentual elevado de mão de obra local.
Segundo a empresa, do total de 13 mil empregados desde o início das obras, 87% são maranhenses.
Cadastro para ser processado
A estrada que atravessa a comunidade de Pau Ferrado foi um dos lugares públicos onde a Vale
proibiu os protestos. Como a vila está há cerca de vinte quilômetros da ferrovia, a empresa
 considera que ela não sofre impactos da obra, apesar de caminhões passarem constantemente
pelo meio das suas terras.
Em busca de emprego, trinta pessoas fecharam a estrada por onde passam os caminhões da Vale.
“Tem um bocado de gente precisando de trabalho. Roubar nós não vamos, mas temos que sustentar
nossa família. Por isso, nós trancamos o acesso,” diz Rogério Sousa Santos, morador da vila.
 Eles só tiveram esperanças quando um representante da Vale veio encontrá-los, ainda com a
estrada fechada. “Ele pediu nome completo e documento de todo mundo. Mas com três dias,
chegou um processo,” diz Santos.
Rogério. Foto: Piero Locatelli
Rogério Sousa Santos ganhou um emprego e um processo. Foto: Piero Locatelli
Depois de ganhar um processo, Santos ganhou um emprego. Agora recebe mil e duzentos reais
 mensais para trabalhar como sinalizador na Camargo Correa, terceirizada responsável pela
construção dos trilhos. Na situação em que se encontra, conta, não tinha como recusar o trabalho
daqueles que o processam.
Chagas, por sua vez, está resignado por não conseguir o que pediu a Vale. “Agora, o que a gente
queria mesmo é que retirassem esse processo que movem contra a gente”, conta. Questionado
 se a empresa já trouxe algo bom à comunidade onde vive, Chagas disse que nunca chegou
 benefício algum. Mas logo em seguida se corrige, e lembra a única vez que um funcionário
da Vale trouxe algo. “Teve uma vez que eu cobrei, e eles trouxeram um lápis, uma caneta e
 uma borrachinha para cada criança. Foi só isso que chegou até hoje.”
Extrído de http://reporterbrasil.org.br/2015/08/vale-processa-quem-se-manifesta-por-reparacao-e-emprego/

quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Abertas inscrições para Processo Seletivo 2016


Taxa custa R$ 20,00. São oferecidas 4.320 vagas em cursos técnicos de nível médio.
  • por Assessoria de Comunicação
  • publicado 10/09/2015 09h33
  • última modificação 10/09/2015 09h33
As inscrições para o Processo Seletivo do Instituto Federal do Maranhão (IFMA) vão de 10 a 30 de setembro. A taxa custa R$ 20,00 (vinte reais). O prazo para pagamento é dia 1º de outubro, nas agências ou caixas eletrônicos do Banco do Brasil. A instituição oferece 4.320 vagas para ingresso nos cursos da Educação Profissional Técnica de Nível Médio, em 2016. A prova será realizada no dia 29 de novembro de 2015.
Quem deseja concorrer a uma vaga poderá realizar a inscrição on-line no site do IFMA (www.ifma.edu.br). Os documentos necessários são CPF e RG do candidato. Também é possível efetuar a inscrição presencialmente, nos endereços indicados no edital.
São 31 cursos, distribuídos em 16 cidades – Alcântara, Açailândia, Bacabal, Barra do Corda, Buriticupu, Barreirinhas, Codó, Caxias, Imperatriz, Pinheiro, Santa Inês, São Luís, São João dos Patos, São Raimundo das Mangabeiras, Timon e Zé Doca. Em São Luís, há vagas em três unidades – Centro Histórico, Maracanã e Monte Castelo.
São oferecidas três formas de cursos técnicos, nos 18 campi. Na forma integrada, o aluno tem a oportunidade de cursar no IFMA ao mesmo tempo o ensino médio e a habilitação técnica. Na Concomitante, o estudante faz o curso técnico no IFMA e cursa o Ensino Médio em outra instituição de ensino. Já a forma Subsequente é destinada às pessoas que já concluíram ou estejam concluindo o ensino médio e pretendem obter uma formação profissional.
Resultado da isenção – O IFMA isentou 5.578 candidatos de pagar a taxa de R$ 20,00 da inscrição no Processo Seletivo 2016. O resultado foi divulgado ontem (9 de setembro). O total de pedidos foi de 8.379.
A lista de isentos pode ser consultada na página do Processo Seletivo (portal.ifma.edu.br/seletivo-unificado/). Quem teve o pedido de não pagamento indeferido deverá fazer a inscrição com os demais candidatos.
Sobre as provas – As provas terão 40 questões, sendo 20 de Língua Portuguesa e 20 de Matemática. O conteúdo programático que será cobrado na prova encontra-se disponível no edital.
Para se inscrever no seletivo, o interessado deverá esperar a abertura do processo de inscrição, preencher o formulário eletrônico ou impresso e indicar a cidade de realização da prova, o campus em que deseja estudar, a forma de educação (Integrada, Concomitante ou Subsequente ao Ensino Médio); o curso a que deseja concorrer e se pretende se inscrever através do sistema de cotas.
Para mais informações, acesse o Edital em portal.ifma.edu.br/seletivo-unificado
Fonte: http://portal.ifma.edu.br/2015/09/10/abertas-inscricoes-para-processo-seletivo-2016/

É amanhã emissão de documentos no IFMA Campus de Buriticupu através do Viva Cidadão


Começar amanhã no IFMA Campus de Buriticupu a emissão de documentos pelo Viva Cidadão . Já no dia 19 sábado a partir das 8 horas da manhã ocorrerá ação social. venha participar.   

NOTA DE ESCLARECIMENTO DA FACAM SOBRE OS CURSOS DESCREDENCIADOS PELO MEC




NOTA DE ESCLARECIMENTO DA FACAM
São Luís – MA
09 de setembro de 2015

A Faculdade do Maranhão - FACAM vem a público e apresenta Nota de Esclarecimento, quanto à Portaria SERES/MEC nº 635publicada no Diário Oficial da União, do dia 08 de setembro de 2015.
A Faculdade do Maranhão - FACAM, mantida pela Sociedade Maranhense de Ensino Superior Ltda - SOMAR, foi credenciada pela Portaria Ministerial/MEC nº 2111, em 05 de agosto de 2003, e se encontra plenamente regular desde seu credenciamento, sendo reconhecida pelo Ministério da Educação como a melhor Faculdade do município de São Luís e está entre as melhores instituições do estado do Maranhão, de acordo com o Índice Geral de Cursos - IGC dos últimos três anos, publicados pelo Ministério da Eucação.

Considerando o descredenciamento para oferta de cursos à distância da Fundação Universitária Estadual do Tocantins (UNITINS) e visando o atendimento e continuidade dos cursos pelos alunos matriculados nos cursos ofertados pela UNITINS, a Secretaria de Educação à Distância (SEED/MEC) publicou o Edital nº 01/SEED/MEC/2009, que convocava Instituições Privadas de Ensino Superior (IPES) a assumirem os polos vinculados à UNITINS, como credenciamento excepcional, e a darem continuidade aos cursos ali ofertados, salvaguardando os direitos dos alunos.

A FACAM, estando regular e sem qualquer pendência junto ao MEC, apresentou sua proposta, na forma do Edital, para a apreciação da SEED e posteriormente apreciação do Conselho Nacional de Educação (CNE).

Por ocasião da fase de habilitação e julgamento, a proposta da FACAM foi avaliada e aprovada pelo Ministério da Educação e pelo Conselho Nacional de Educação, fatos que podem ser analisados nos Pareceres CNE/CES nº 299/2009 e CNE/CES 102/2010.

O processo iniciado com o Edital 01/SEED/MEC/2009 culminou na publicação da Portaria MEC nº 965, de 26 de julho de 2010. Por esta portaria a FACAM assumiu e passou a atuar nos antigos polos da UNITINS, situados em Açailândia, Bacabal, Balsas, Imperatriz, Presidente Dutra, Santa Inês e São Luís, todos no Estado do Maranhão.

Observando, rigorosamente, o estabelecido no Edital nº 01/SEED/MEC/2009, a FACAM adotou todas as providências necessárias para atender os alunos dos polos que lhe foram destinados, ações que vêm sendo implementadas até a presente data. Parte dessas implementações, no que diz respeito ao atendimento integral da legislação.

A FACAM, atendendo o que estava expresso no Edital nº 01/SEED/MEC/2009 e nas diretrizes por ele estabelecida, preservou e atendeu o direito dos alunos oriundos da UNITINS, permitindo-lhes a continuidade dos cursos a que estavam vinculados.

A manutenção dos cursos, realizada pela FACAM, não era facultativa segundo o Edital nº 01/SEED/MEC/2009, mas sim como obrigatória. A obrigatoriedade da continuidade da oferta dos cursos está expresso nos itens 6.1 a 6.4.1 do Edital SEED/MEC, bem como manter o funcionamento dos polos credenciados excepcionalmente pelo prazo de duração dos cursos de graduação dos ex-alunos da UNITINS e abrir novos processos seletivos de acordo com a capacidade de atendimento dos polos.

A referida SEED/MEC por meio do Ofício nº 3605/2010/CGS/DRESEAD/SEED/MEC, exigiu informações sobre o cumprimento das obrigações dos polos e cursos, ratificando a conduta da FACAM:

  1. Com o objetivo de verificar o cumprimento das obrigações apresentadas acima, a Secretaria de Educação a Distância solicita a essa Instituição de Educação Superior, que no prazo de 20 (vinte) dias informe as ações realizadas junto a cada um dos polos credenciados nos termos da Portaria nº 965 de 26 de julho de 2010, para a execução destas obrigações, bem como informações sobre todos os processos seletivos para cursos a distância que têm oferta prevista nesses polos, a partir da referida Portaria de homologação do parecer de credenciamento.

Nesse sentido, a Instituição, para cumprir as obrigações que assumiu com a SEED/MEC e com os alunos vinculados aos polos que lhe foram destinados, deu continuidade aos cursos que lá eram ofertados pela UNITINS, promovendo, inclusive, processos seletivos de acordo com a capacidade dos citados polos.

Assim, em atendimento ao Edital nº 01/SEED/MEC/2009, a FACAM assumiu os cursos de graduação apresentados do referido Edital (Quadro abaixo), antes oferecidos pela UNITINS, nos polos relacionados anteriormente:

Curso
Grau
Pedagogia
Licenciatura
Matemática
Licenciatura
Letras
Licenciatura
Serviço Social
Bacharelado
Ciências Contábeis
Bacharelado
Administração
Bacharelado
Análise e Desenvolvimento de Sistemas
Tecnológico

Portanto, por meio da Portaria nº 965/2010, a FACAM foi autorizada a assumir os polos relacionados e, junto a estes, entendendo a FACAM, também os cursos que lá eram oferecidos pela UNITINS,

O curso de Pedagogia, Licenciatura, na modalidade EAD já era oferecido pela FACAM, deste modo, os alunos foram naturalmente inseridos no curso regular.

            Porém, a partir da extinção da Secretaria de Educação a Distância – SEED/MEC da estrutura do MEC, o entendimento da SERES, órgão que assumiu as atividades da Educação a Distência, foi de que a FACAM não poderia dar continuidade aos cursos oriundos da UNITINS, mesmo não sendo a interpretação da FACAM, e sim pedir as autorizações dos mesmos cursos sem prejuízo aos alunos.

            Após uma longa negociação entre a Direção Geral da FACAM e a Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior – SERES, foi decidido, em conjunto, a publicação da Portaria SERES/MEC nº 635publicada no Diário Oficial da União, do dia 08 de setembro de 2015, onde explicita o seguinte:

(...)
Art. 1o Ficam reconhecidos em caráter excepcional, para fins únicos de expedição e registro de diplomas, os cursos constantes do Anexo I, ofertados nos polos elencados no Anexo II, pela Faculdade do Maranhão - FACAM (Cód. 2189).
Art. 3o Fica vedado o ingresso de novos estudantes até a emissão dos novos atos autorizativos para os cursos elencados no Anexo I.
(…)
Anexo I
CURSO
GRAU
Matemática
Licenciatura
Letras
Licenciatura
Serviço Social
Bacharelado
Ciências Contábeis
Bacharelado
Administração
Bacharelado
Análise e Desenvolvimento de Sistemas
Tecnológico
Processos Jurídicos
Tecnológico









Nesta negociação também inclui-se os pedidos de autorização dos cursos elencados, que se encontram em trâmite no Ministério da Educação, sob os números dos processos abaixo, que podem ser verificado em consulta pública, no sistema eletrônico de processos e-MEC;


PROCESSO
CURSO
TIPO DE PROCESSO
SETOR ATUAL
201209188
ADMINISTRAÇÃO
Autorização de Curso EAD
SERES/MEC
201209186
CIÊNCIAS CONTÁBEIS
Autorização de Curso EAD
SERES/MEC
    
201209187
ANÁLISE E DES DE SISTEMAS
Autorização de Curso EAD
INEP/CTAA/MEC
201209183
MATEMÁTICA
Autorização de Curso EAD
INEP/CTAA/MEC
201209185
SERVIÇO SOCIAL
Autorização de Curso EAD
INEP/MEC
201209184
LETRAS COM PORTUGUÊS E ESPANHOL
Autorização de Curso EAD
INEP/MEC

Portanto, como pode ser observado, a FACAM e o Ministério da Educação, garantem que nenhum aluno terá prejuízo, seja acadêmico ou financeiro, pois todos os seus direitos estão resguardados.

Atendendo, também, ao art. 3o. da referida portaria ministerial, novos processos seletivos serão realizados a partir das autorizações em trâmite no Ministério da Educação.

A Direção Geral da FACAM se coloca à disposição para esclarecimentos ou dúvidas que se façam necessários.



Atenciosamente,

Carlos César Bandeira
Diretor Geral da FACAM


Ps: Segue abaixo anexo original deste documento.


NOTA DE ESCLARECIMENTO DA PROFª. ELIENIR RODRIGUES DE BOM JESUS DAS SELVAS

Bom Jesus das Selvas - Meus amigos, utilizo-me deste meio de comunicação para manisfestar-me a respeito de uma matéria caluniosa e grosseiramente montada com o intuito de manchar e divulgar indevidamente minha imagem. Matéria essa divulgada hoje por um blogueiro que não se dignou sequer em me procurar para ouvir o que eu teria a falar a respeito. Enviei a resposta ao blog disseminador da matéria, porém o mesmo não a divulgou. 
No entanto, segue minha resposta, para que todos tenham conhecimento. Ressalto ainda, que já registrei Boletim de Ocorrência contra o blogueiro, que deverá responder pelos crimes de USO INDEVIDO DE IMAGEM, CALÚNIA E DIFAMAÇÃO. E outros que a justiça julgar pertinentes.

LEIAM ABAIXO RESPOSTA DADA AO BLOG: 

NOTA AO BLOG “REI DOS BASTIDORES” Caro blogueiro, sou conhecedora e até defensora da liberdade de imprensa e de expressão de todo cidadão, seja ele blogueiro ou não. 

A própria legislação federal (LEI Nº 2.083, DE 12 DE NOVEMBRO DE 1953 e também a CF de 1988) prevê e garante essa liberdade. 

Logo, sei que V. Senhoria é livre para utilizar-se desse meio para divulgar o que julgar conveniente, desde que o publicado não "atente contra a moral e os bons costumes" (Art. 1º § 1 da citada lei). 

Considerando isso, quero me posicionar como cidadã cumpridora de seus deveres e respeitadora dos direitos, como mãe de família, como professora há mais de 14 anos no município de Bom Jesus das Selvas e também no Estado. Graduada em História e Geografia, com Pós Graduação em Gestão Pública e também em Geografia. 

Não poderia me manter em silêncio diante do que fora exposto neste noticioso. Fui surpreendida logo cedo com esse post, que afirmo categoricamente, se tratar de uma montagem grotesca e de péssimo teor. 

Quem me conhece e costuma trocar mensagens comigo sabe que apesar de não ser especialista em Linguagem, em hipótese nenhuma, mesmo com pressa na escrita, cometeria erros ortográficos e de concordância grosseiros como consta na mensagem. 

Vejo o whatsapp como uma fortíssima ferramenta de comunicação, que tem o poder de aproximar e promover interação entre as pessoas, de alinhar grupos de trabalho, etc. Mas, não consigo me imaginar tratando de assuntos políticos, muito menos de questões tão sérias como estas através desse meio de comunicação, até mesmo porque sei da vulnerabilidade que nos expomos ao fazê-lo. 

Outro fator importante a se considerar é que por mais leiga que eu fosse não misturaria os Tribunais (TCE e TRE). Apesar, de nem eu mesma conhecer a pessoa citada na conversa montada, sei assim como qualquer cidadão que o mesmo não possui vínculo com o Tribunal Regional Eleitoral, logo, também não tem nenhuma ingerência no Processo de captação ilícita de sufrágio o qual a prefeita está enfrentando. Não posso dizer que se trata de "brincadeira de mau gosto", porque não é. Se trata sim de uma atitude maldosa de alguém que tenta se aproveitar do momento político vivido aqui em nossa cidade, para de alguma forma causar um desgaste entre os poderes executivo, legislativo e judiciário. 

E principalmente, para provocar uma espécie de pressão na justiça no que diz respeito aos últimos acontecimentos dos quais todos são sabedores e não me cabe aqui entrar no mérito. Até porque a própria Prefeita em nota, já esclareceu os fatos e inclusive demonstrou respeito ao Meritíssimo Juiz que proferiu tal decisão. 

Penso que esse blog não deveria causar tamanha exposição de minha imagem. Mas, já que o fez, deveria também divulgar o outro interlocutor. Aproveito o ensejo para pedir a Vossa Senhoria, como blogueiro imparcial que é que exponha aqui também quem está do outro “lado” da conversa como forma de demonstrar mais transparência e credibilidade na notícia. 

Ou se não, que pelo menos se dignifique a divulgar a fonte. Pois como deve ser conhecedor, publicar notícias falsas ou divulgar fatos truncados ou deturpados, que provoquem alarma social ou perturbação da ordem pública, é crime. Veja o Art. 9º da Lei nº 2.083 (que trata da liberdade de imprensa). Diante de tudo isso, coloco meu celular à disposição da justiça para quebra de sigilo telefônico, se for o caso, para que os fatos sejam esclarecidos. 

E de já externo o meu repúdio a quem teve a desonrosa iniciativa de agir com tamanha má fé utilizando-se de meu nome e de minha imagem, ferindo assim, meu direito constitucional da moralidade e dos bons costumes. Elienir Rodrigues dos Santos – Professora
Fonte: http://www.portalveras.com/